Uma história sobre um garoto, preso por estupro e um funcionário da casa de custódia

Discussão em 'Vale Tudo' iniciada por crabbattle, 16 Fevereiro 2014.


  1. crabbattle Veterano

    Número de Mensagens:
    998
    Pontos de Troféu:
    114
    O título do tópico tá horrível, se pensarem em algo melhor eu troco.

    Esse é um post que eu encontrei no reddit, uma história sobre um funcionário de uma casa de custódia pra adolescentes e a experiência que ele teve com um dos detentos, preso por estupro. Tem em PT também, cortesia do google translate.




    This may be a long one.
    I was working a secure custody detention centre for youth. Young offenders. When I started I made a promise to myself for the people I would be working to help. I wanted to get to know them for a few days, before digging in their files and reading their dirt. This one kid really stuck out to me. His eyes were very matte, no shine, no light. He was extremely nice and very helpful. I remembered playing 21 with one of the other residents and lost horribly (21-0). This young kid, took me aside and showed me how to properly shoot the basket ball to get it in the net.
    Well, time passed and I developed a great professional relationship with this kid. There was just something about him. So it was time to sit down and read the files. This kid was in for his third conviction. The first was he raped a 6 year old boy on his block when he was 8, the second, a 5 year old boy when he was released after a year (9 yrs old). The third.. was his baby sister. As I was reading my heart sank and sank even further. I have been the victim of rape and it was hard to not hold a slight judgement. That day I went home after reading the files, and thought long and hard about if I would be able to continue working with this kid. After all, sex crimes at that age are bound to get worse with age. I decided, that I would hold myself to my standard, and be non-judgemental, and instead, try and figure out what happened with him.
    My coworkers were always talking about how he would never go anywhere, always be in the system, had no hope. He wouldn't talk to anyone about what happened, not lawyers, not counsellors, no one. In his court hearings he was silent minus a few words to answer questions, but never going into detail. As my coworkers were talking about this, the only thing I could think of was "How the hell does an 8 year old know how to rape another boy".
    I was close with a senior staff there, he was sort of my mentor. He noticed how I took a liking to this kid, and even after reading the file, treated him with the same respect, and would go out of my way to talk to him about things he liked. He asked me if I was ever a victim. How he knew, I will never know. I told him I was, and he had a suggestion. On the next "downtime" (downtime here is when the kids were in their rooms and staff would go in and talk to them about how their sentence was going) he suggested if I was comfortable doing so, to tell the kid about my story and what happened with me.
    I figured, hell why not. I learned from experience that the best way to get people to trust you, is showing them you trust them. So I went in and told him my story. I told him what happened, my recovery, and how it damaged me for years. I told him that I wasn't telling him this to make him feel bad, but i wanted to share from the other side what happens, and what victims of sex crimes go through. He sat in silence and listened intently. When I finished, he asked if I was okay now. I explained that I had gone through my process and managed to come out okay.
    The next few days he would pull me aside and ask more details about my recovery in this, and how my mind was operating. The next time I went and sat in with him on downtime, he broke down and cried (for the record, it was specifically written that this fellow showed no remorse or ill feelings for what he had done). After he finished sobbing, he looked at a picture on his wall of him family, including his baby sister whom he last raped. He expressed to me his guilt and shame, and said how he felt so alone in the world. He knew everyone judged him. He never talked about it because he knew people thought he was a sick fuck and would never amount to anything. He couldn't open up because no one gave him the chance to do so without being ridiculed. I let him talk, and he told me his thoughts before, during, and after. How it was like an addiction, he couldn't help himself. It's how he learned to deal with pain. The pain I saw in his eyes when he was worrying about how he fucked up his sisters life was real. That pain, that hurt and guilt was nothing I have ever seen before. He was not mimicking human emotion, this was for real.
    A few months pass, and we continue to talk. I help him get some books and tools to learn more about his "disorder" (fuck, it took me sooooo long to call it that, but this kid made me realize that's what it was) so he could better understand himself and what he needed. Still sitting in the back of my head "how does a kid know how to do this".
    Fast forward another few months, and I am let go from the position as they were doing restructuring, and I was lowest in seniority. I continued to volunteer at this place, as I had made so much progress with this kid, talking about what he had done. Finally talking.
    Then the day comes for release, and he asked to have me sit in on his release plan. He came up with a brilliant plan, living with an Aunt and Uncle who were childfree, in a rural area and being home schooled so he could continue working on himself before being fully introduced back into the community. We sat with his lawyer, the judge, and his god awful mother who looked like the "meth after" pictures. The judge agreed on this plan, and his release was confirmed for the following week. (part of the agreeance to be released was he had started to finally talk about it, express REAL feelings of guilt and remorse). So, we start walking back to the van from the court house. After we exit the meeting room, there is this terribly scary man sitting on the chair outside the meeting room. I mean scary looking. The kid, ended up getting bright red when seeing the man, and the man stood up, patted him on the shoulder, and said "you better fucking watch yourself". The fear in this kids eyes... holy hell.
    We get back to the group home, where I find out this man was his step father. I let the dog lie for a few days, and them went to talk to him about what I seen in his face when he saw his step dad. That's when he broke down again. He told me how his step dad used to rape him from the age of 5, and his mother let it happen, and even watched a few times. He described how much it hurt physically and emotionally, and he was told if he ever told anyone they would kill him..
    This is why I say there is usually abuse happening to the bullies out there. This kid was shown how to behave by people he trusted and ended up pretty messed up about it.
    This was 6 years ago. I have kept in contact with him, and his family.. he is conviction free and is no longer experiencing those urges since he has gone and gotten professional help in dealing with what was done to him as a little boy.








    EM PT:
    Isso pode ser longa.
    Eu estava trabalhando em um centro de detenção custódia segura para os jovens. Jovens delinquentes . Quando eu comecei eu fiz uma promessa a mim mesmo para as pessoas que eu estaria trabalhando para ajudar. Eu queria conhecê-los por alguns dias , antes de cavar em seus arquivos e ler a sua sujeira . Este garoto realmente ficou para mim . Seus olhos eram muito fosco, sem brilho , sem luz . Ele foi extremamente agradável e muito útil. Lembrei-me de jogar 21 com um dos outros residentes e perdeu horrivelmente ( 21-0 ) . Este jovem garoto , me chamou de lado e me mostrou como atirar corretamente a bola de basquete para obtê-lo na rede .
    Bem , o tempo passou e eu desenvolvemos um ótimo relacionamento profissional com esse garoto . Havia apenas algo sobre ele. Então era hora de sentar e ler os arquivos . Esse garoto estava em sua terceira condenação. O primeiro foi ele estuprou um menino de 6 anos em seu bloco , quando ele tinha 8 anos, o segundo , um menino de 5 anos de idade quando foi libertado depois de um ano ( 9 anos) . O terceiro .. era a sua irmãzinha. Como eu estava lendo meu coração afundou e afundou ainda mais. Tenho sido vítima de estupro e que era difícil não manter uma ligeira julgamento. Naquele dia, eu fui para casa depois de ler os arquivos, e pensei muito sobre se eu seria capaz de continuar a trabalhar com esse garoto . Afinal de contas, crimes sexuais nessa idade são obrigados a piorar com a idade. Eu decidi que eu iria me segurar para o meu padrão , e ser não-julgamento , e em vez disso , e tentar descobrir o que aconteceu com ele.
    Os meus colegas estavam sempre falando sobre como ele nunca iria a qualquer lugar , sempre no sistema, não tinha esperança . Ele não quis falar com ninguém sobre o que aconteceu, não advogados , nem os conselheiros , ninguém . Em suas audiências judiciais , ele ficou em silêncio menos algumas palavras para responder a perguntas , mas nunca entrar em detalhes . Como os meus colegas de trabalho estavam falando sobre isso, a única coisa que eu conseguia pensar era : "Como diabos faz um 8 anos de idade sabe como estuprar outro garoto " .
    Eu estava perto com uma equipe sênior lá, ele era uma espécie de meu mentor. Ele notou como eu teve um gosto para o garoto , e mesmo depois de ler o arquivo, tratou-o com o mesmo respeito , e iria sair do meu caminho para falar com ele sobre coisas que ele gostava . Ele me perguntou se eu era sempre uma vítima. Como ele sabia , eu nunca vou saber. Eu disse a ele que eu era, e ele tinha uma sugestão. Na próxima " downtime " ( tempo de inatividade aqui é quando as crianças estavam em seus quartos e pessoal iria entrar e falar com eles sobre como sua sentença estava indo ) ele sugeriu que eu estava confortável fazê-lo, para dizer ao garoto sobre a minha história e o que aconteceu comigo.
    Eu pensei, por que não o inferno . Eu aprendi com a experiência que a melhor maneira de levar as pessoas a confiar em você , está mostrando a eles que você confia neles . Então eu fui e disse-lhe a minha história. Eu disse a ele o que aconteceu, a minha recuperação , e como ela me danificado por anos. Eu disse a ele que eu não estava lhe dizendo isso para fazê-lo sentir-se mal , mas eu queria compartilhar do outro lado o que acontece , e que as vítimas de crimes sexuais passar. Ele sentou-se em silêncio e ouviu atentamente . Quando terminei, ele perguntou se eu estava bem agora. Eu expliquei que eu tinha atravessado o meu processo e conseguiu sair bem.
    Os próximos dias ele me puxar para o lado e pedir mais detalhes sobre a minha recuperação nisso, e como minha mente estava operando . A próxima vez que eu fui e me sentei com ele sobre o tempo de inatividade , ele começou a chorar (para o registro , foi escrito especificamente que este homem não mostrou nenhum remorso ou maus sentimentos para o que ele tinha feito). Depois que ele terminou soluçando , ele olhou para um quadro na parede de seu dele a família , incluindo sua irmã mais nova que ele última estuprada. Ele me expressou sua culpa e vergonha, e disse como se sentia tão sozinha no mundo. Ele sabia que todo mundo o julgou . Ele nunca falou sobre isso, porque ele sabia que as pessoas pensavam que ele era um doente e nunca iria ser nada na vida . Ele não podia abrir , porque ninguém lhe deu a chance de fazê-lo sem ser ridicularizado . Deixei-o falar , e ele me disse que seus pensamentos antes, durante e depois. Como ele era como um vício, ele não se conteve . É como ele aprendeu a lidar com a dor . A dor que eu vi nos olhos dele quando ele estava preocupado sobre como ele fodido sua vida irmãs era real. Que dor, que dor e culpa não era nada que eu já vi antes. Ele não estava imitando a emoção humana , isso era real .
    Alguns meses passam, e nós continuamos a conversar. Eu ajudá-lo a obter alguns livros e ferramentas para saber mais sobre a sua " doença " ( foda, demorei muuuito tempo para chamá-lo assim , mas esse garoto me fez perceber que é o que era ) para que ele pudesse entender melhor a si mesmo e que ele precisava . Ainda sentado na parte de trás da minha cabeça " como é que uma criança sabe como fazer isso ."
    Rápido para a frente mais alguns meses , e eu estou demitida do cargo como se estivesse fazendo a reestruturação, e eu era menor na antiguidade. Eu continuei a oferecer-se em este lugar, como eu tinha feito muito progresso com esta criança, falando sobre o que ele tinha feito. Finalmente falando .
    Então chega o dia para o lançamento , e ele pediu para me sentar em seu plano de lançamento. Ele veio com um plano brilhante , vivendo com uma tia e tio que estavam sem filhos , em uma área rural e ser educada em casa para que ele pudesse continuar a trabalhar em si mesmo , antes de ser totalmente introduzido de volta para a comunidade. Sentamos com o seu advogado , o juiz, e seu deus terrível mãe que parecia o "meth depois" . O juiz concordou com este plano , e seu lançamento foi confirmado para a semana seguinte . (parte do agreeance a ser lançado foi ele começou a finalmente falar sobre isso, expressar sentimentos reais de culpa e remorso ) . Então , começamos a caminhar de volta para a van da casa tribunal. Depois de sair da sala de reunião , não é este homem terrivelmente assustador sentado na cadeira do lado de fora da sala de reunião. Quero dizer assustador . O garoto , acabou ficando vermelho brilhante ao ver o homem , eo homem levantou-se, deu um tapinha no ombro dele , e disse: " é melhor você se cuidar , porra " . O medo neste olhos infantis ... inferno santo.
    Voltamos para a casa do grupo, onde eu descobrir este homem era seu pai etapa. Deixei a mentira cão por alguns dias , e lhes foi falar com ele sobre o que eu vi em seu rosto quando ele viu seu padrasto . Foi quando ele quebrou novamente . Ele me contou como seu pai passo usado para estuprá-lo a partir de 5 anos de idade , e sua mãe deixá-lo acontecer , e até mesmo assisti algumas vezes. Ele descreveu o quanto doía fisicamente e emocionalmente , e ele foi informado se ele nunca disse a ninguém que iria matá-lo ..
    É por isso que eu digo que há geralmente abusam acontecendo com os valentões lá fora. Esse garoto foi mostrado como se comportar por pessoas em quem confiava e acabou muito confuso sobre isso.
    Isso foi há 6 anos. Tenho mantido contato com ele , e sua família .. ele é convicção livre e já não está passando por esses impulsos desde que ele se foi e ficou ajuda profissional para lidar com o que foi feito a ele como um menino.

    Fonte: http://www.reddit.com/r/AdviceAnima...orning_and_my_facebook_feed/cffvhnh?context=2
  2. Icarios Bam-bam-bam

    Número de Mensagens:
    4,904
    Pontos de Troféu:
    379
    Estou morrendo de sono e não há chance nenhuma de ler isso aí.

    Faz um resumo ae brother, de preferência de no máximo 3 linhas.

    Obrigado.
  3. Alquimista de fogo Habitué da casa

    Número de Mensagens:
    426
    Pontos de Troféu:
    88
    A tradução está ruim, mas deu de ler de boa. Pelo que eu entendi o menino desenvolveu compulsão por causa do padrasto, ou algo assim.
  4. Mr Vercetti Supra-sumo

    Número de Mensagens:
    3,114
    Pontos de Troféu:
    184
    Foda... Eu fico aqui imaginando quantos monstros não são fabricados por mães bêbadas, pais estupradores, tios que espancam... Mas enfim, bandido bom é bandido morto, não é, pessoal?
    Tunin aprova isto.
  5. bolO Bam-bam-bam

    Número de Mensagens:
    4,895
    Pontos de Troféu:
    239
    Impossibru ler isso daí :kjoinha
  6. Darren Hayes Bam-bam-bam

    Número de Mensagens:
    17,305
    Pontos de Troféu:
    484
    neguinho tem a atenção de um peixinho dourado hein?

    Foda a história...
  7. pescadorparrudo Bam-bam-bam

    Número de Mensagens:
    10,510
    Pontos de Troféu:
    454
    Que foda...

    Ele teve a sorte de alguem olhar para ele com outros olhos.

    Mas nao da nem pra imaginar o dano que o padrasto causou nele. Algo imensuravel...

    Mas quase sempre há uma "razão de ser"
    Tunin aprova isto.
  8. zohan Supra-sumo

    Número de Mensagens:
    1,108
    Pontos de Troféu:
    183
    cara fiquei alternando entre os textos, ambos com uma leitura cansativa.
    Deu para entender mais ou menos.
  9. Hitokiri-Ken Ei mãe, 500 pontos!

    Número de Mensagens:
    27,465
    Pontos de Troféu:
    699

    Num lugar que tem uma estrutura razoável ele já era pra ser uma peça perdida... agora imagina aqui onde a ideia de que a prisão deve ser um lugar mais violento ainda do que o mundo exterior é consolidada pela sociedade.
    pescadorparrudo aprova isto.
  10. Assassino Chaos Habitué da casa

    Número de Mensagens:
    441
    Pontos de Troféu:
    88
    Cara, resume isso aí.
  11. rpacciulli Bam-bam-bam

    Número de Mensagens:
    18,094
    Pontos de Troféu:
    479
    sim.
  12. Kaiji Bam-bam-bam

    Número de Mensagens:
    12,648
    Pontos de Troféu:
    444
    [IMG]
  13. pescadorparrudo Bam-bam-bam

    Número de Mensagens:
    10,510
    Pontos de Troféu:
    454
    Resumo pros preguicosos:

    Um cara trabalhando com menores infratores se aproximou de um garoto de 8 ou 9 anos e sentiu uma conexao, gostou do garoto.

    E ele quis conhecer o garoto um pouco antes de saber qual era seu "delito".

    O delito do garoto, ele descobriu depois, foi estuprar um menino mais novo que ele e depois reincidir no delito, estuprando sua irmazinha.

    O funcionario ja havia sido estuprado. Mesmo assim ele resolveu tentar conhecer o garoto e entender ele.

    No fim das contas, ele descobriu que o garoto havia sido estuprado pelo padrasto desde muito novo, com a permissao e consentimento da mae. Os dois ameaçaram o garoto de morte caso ele contasse para alguem.
  14. phantomlink Bam-bam-bam

    Número de Mensagens:
    5,178
    Pontos de Troféu:
    299
    História foda... o garoto sofre de uma desordem sexual provocado pelos abusos sofridos desde os 5 anos de idade - ele sente repulsa de si mesmo por ter cometido os estupros.

    Tsc... e pensar que o mundo está recheado de monstros como o padrasto e a mãe desse guri.

Compartilhe essa página